novembro 25, 2010

 Você tem raiva das contas a pagar?

Tem gente que fica indignado com o valor a pagar de algumas delas no final do mês. Agir dessa forma prejudica muito a própria prosperidade. Vamos ver o porque.
 A pessoa começa a ter pensamentos do tipo “é um absurdo, é um roubo, eles só querem lucrar, é uma exploração…”. A negatividade gerada pela raiva prejudica apenas a pessoa que a está sentindo, e não baixa o valor das contas, por mais incrível que isso possa parecer.
Toda vez que reclamamos nos tornamos uma vítima, e essa mentalidade  é extremamente nociva. Ela nos coloca em um patamar de impotência, onde sentimos que temos pouca ou nenhuma influência sobre a nossa vida financ. Quando nos colocamos dessa forma, deixamos de enxergar soluções e outras coisas mais positivas. Cria-se um mecanismo de auto sabotagem para permanecermos vítima.
Todo padrão emocional negativo tende a buscar formas de se alimentar, como se fosse uma forma de vida primitiva autônoma dentro de nós que não deseja morrer. As vezes parece irresistível agir de determinada maneira. É o próprio padrão negativo tomando conta de nós para beber sua cota de negatividade e permanecer vivo.
Quando focamos em algo, seja positivo ou negativo, nosso cérebro passa a prestar mais atenção aquilo. Assim, quem reclama acaba detectando mais situações para reclamar, e ainda, de forma inconsciente, tenderá a distorcer os acontecimentos e ver somente o lado negativo para ter mais motivos para se queixar.
Além do mais, quanto mais reclamamos, mais atrairemos situações que nos farão reclamar. Lamúria atrai lamúria assim como a positividade atrai positividade. Cria-se uma sincronicidade de fatos considerados ruins. 
Para confirmar o que eu acabei de falar, é só você observar aquelas pessoas que vivem reclamando. Elas  geram tanta negatividade com suas lamúrias que acabam atraindo e enxergando mais e mais razões para se queixar. Gera-se um círculo vicioso. Não é a toa que na que elas encontram tantas pessoas e situações desagradáveis. Além disso, elas vão ter sempre uma reação desproporcional a cada evento negativo. Algo que alguém reagiria com tranqüilidade ou apenas com um leve desconforto, o reclamão tende a reagir de forma exagerada.
O que está por trás da raiva das contas? Mentalidade de escassez. Sentimento de incapacidade de paga-las por falta de confiança de que você pode gerar recursos. Pessimismo, sensação de que as despesas crescem sempre mais do que os ganhos. Preconceito contra as empresas, crenças negativas que dizem que todos são exploradores (novamente, a vítima aparece). Você deve perceber o quanto essa negatividade prejudica a prosperidade.
 
Além disso, existe a falta de reconhecimento dos serviços que foram prestados, gerando insatisfação. Cada conta que você paga, seja condomínio, água, celular, existe uma prestação de serviço por trás que serve para nos trazer bem estar, obviamente. Mas como estamos sempre usando esses serviços, fica tudo tão automatizado, que nem nos damos conta do quanto são importantes e nos fazem falta (a não ser quando são cortados, é claro). Parece que apenas estamos pagando contas por pagar, e que nada é feito. Fica também parecendo que é obrigação das empresas nos fornecer tudo.
Quando saímos para comprar algo ou receber uma prestação de serviço, a sensação de gratificação é diferente. Sentimos o prazer de adquirir o bem. Pagamos e recebemos na hora aquilo que desejamos. Assim não ficamos com raiva da compra, até mesmo quando o valor é alto, e ficamos felizes com o produto e a empresa que nos vendeu.
Assim deveríamos tratar todas as contas: com alegria e gratidão, reconhecendo cada serviço prestado e o conforto que obtivemos durante o mês. Reconheça também a massa de pessoas que existem por trás daquela empresa e que estão sendo remuneradas, tirando dali o seu sustento. Sinta a prosperidade que é gerada cada vez que você paga uma conta.
Para prosperar cada vez mais, você precisa se sentir próspero. Pra isso comece então a abençoar suas contas pagando todas elas com gratidão na data do vencimento, ou até mesmo antes se for possível.
Podemos usar a EFT para limpar a raiva de qualquer conta que seja e assim nos ajudar a chegar mais facilmente nesse estado de gratidão. Você pode fazer da seguinte forma. Pense na conta que faz você sentir raiva. Liste todas as razões que surgirem e que alimentam o sentimento de raiva. Por exemplo: Sinto raiva de pagar a conta de energia por que é alta demais. Vivo economizando e ela sempre aumenta. Tenho raiva do monopólio das empresas. Acho a tarifa injusta. Deveria ser muito mais barato… etc. Agora você já tem material para fazer a sua rodada de EFT. Gradue a raiva em uma escala de 0 a 10 e depois comece a rodada.
Frase de preparação: “Mesmo que eu sinta raiva da conta de energia, eu me aceito profunda e completamente”. Repete 3 vezes enquanto bate no ponto do karatê.
Topo da cabeça: Sinto raiva da conta de energia
Início da sobrancelha: Vivo economizando mas ela sempre aumenta
Lateral do olho: Tenho raiva do monopólio das empresas
Embaixo do olho: A tarifa é injusta
Embaixo do nariz: Me sinto explorado
Embaixo do lábio inferior: Me sinto refém
Osso da clavícula: Deveria ser mais barato
Embaixo da axila: Tenho medo de um dia não conseguir pagar
….. repete novamente do topo da cabeça até embaixo da axila.
Faça tantas rodadas quantas forem necessárias até que você não sinta mais qualquer tipo de raiva da conta. Isso o deixará com uma mentalidade mais próspera, o que vai atrair mais abundância para sua vida.

 

 A Fonte, O Todo
Quem acompanha o que acontece hoje no mundo, escolhendo com discernimento as inúmeras fontes de informação, percebe claramente o quanto a situação atual é insustentável. O que costumamos chamar de "progresso", de "modernidade", de tecnologia de ponta, esconde de fato uma grande alienação do ser humano, um sentimento de solidão e isolamento que tudo que está à nossa disposição, não consegue atenuar, substituir, consertar…
A grande maioria aceita esta imensa inversão de valores com resignação, anestesiada, como se não tivesse mais jeito. A energia que encontramos nos meios de transportes, nas repartições, nos bancos, na fila do supermercado, nos shoppings e nas ruas, está machucando nossa alma, tornando-nos mais reclusos, como que procurando evitar a exposição a riscos e situações desagradáveis no momento em que deixamos nosso santuário, nossa residência…

Ainda que tenhamos a possibilidade de contar com minúsculos objetos que nos conectam ao mundo inteiro com um único toque, mesmo que pertençamos a redes sociais que supostamente nos agregariam todos, ou que disponhamos de recursos de ultima geração para detectar e debelar doenças, a grande maioria da população mundial está perdida, sem referências, sem rumo, uma vez que vive completamente separada de sua essência, ignara de sua divindade, de sua força infinita e de sua missão. Sim, vale sobretudo a forma, a aparência exterior, a ostentação… será que os fins justificam os meios?

Às vezes faço um exercício mental e me coloco na pele, no lugar de um ser de outra galáxia, pertencente a uma civilização muito à frente da nossa, capaz de viajar tranquilamente no espaço/tempo, totalmente livre de preconceitos, ilusões, separação, violência, injustiça, dor, doenças, ainda por cima nativo de um lugar onde não precise existir dinheiro… Este ser evoluído (nós no futuro) se aproximaria em sua nave (talvez nem precisasse de uma para viajar pelo Universo) decidido a fazer algo para nos ajudar…
Caso o corajoso extra-terrestre conseguisse sobreviver à captura ou eliminação por parte de alguma "unidade especial", à energia pesada que cerca o planeta, à poluição atmosférica, obviamente iria procurar algum líder planetário para ter uma entrevista na qual pudesse explicar, demonstrar (talvez em 3D, holografia, tele-transporte ou mais) quão maravilhosa era, àquela altura, a vida em seu orbe e o que tinha sido feito para chegar naquele estágio tão extraordinário…

A primeira dificuldade enorme seria, no entanto, encontrar um líder que de fato fosse digno de tal qualificação, que tivesse alguma capacidade de dialogar em nível elevado e que representasse -com legitimidade e consenso geral-, alguma comunidade importante…
Infelizmente, dentro de meu banco de memória, somente o Dalai Lama me pareceu à altura, ainda que se encontre hoje cansado e desanimado e representando somente parcela pequena e sem território da população; ele que acaba de confirmar sua definitiva aposentadoria em seis meses. Achei bastante estranho este último fato, pois acreditava que, tanto quanto os papas da igreja católica, os líderes religiosos tibetanos continuassem a missão até o fim da vida aqui na Terra.Bom, percebem como seria difícil receber alguma ajuda dos irmãos cósmicos? As aparições de OVNIS têm se intensificado neste ano, basta procurar no YouTube, mas o contato me parece ainda bastante distante.

Portanto, se quisermos deixar para nossos filhos e netos um lugar decente para viverem, precisamos começar NÓS MESMOS a fazer algo de verdade, e logo.Creio que esta premência em agir me atormente há muitos anos e temo já ter saturado alguns leitores com este tema, mas sinto tratar-se de algo que não se origina do meu "pequeno ego", mas venha direto da Fonte, chamando à exaustão os filhos amados para que acordem, assumindo sua responsabilidade e, de forma corajosa, inteligente e determinada atuem em nome da Verdade, do Amor Incondicional, do Universo.
A sensação é de tempo se esgotando, não se trata de medo (em absoluto), refiro-me à forte inércia global, ao sentimento de deixar para os outros a responsabilidade da ação ou, quem sabe, ao fato de se sentir pequeno perante a tarefa de mudar as coisas, ao menos à nossa volta.

Precisamos abrir nosso coração, nosso verdadeiro centro, e operar a partir dele.A sintonia com a Fonte se processará então suavemente, no silêncio, na vibração da Paz, da Compaixão, da Unidade. Um exercício diário pode começar com uma oração (Um Pai Nosso), um mantra (Um, somos Todos Um) ou um precioso "Sinto muito, te amo, sou grato" para com Ele, o Criador, Deus Pai/Mãe, o Todo que está em tudo…
Não se preocupe se lágrimas começarem a escorrer em seu rosto, é sinal que se realizou a conexão e que somos Unos imersos em uma dimensão de bem-aventurança e felicidade plena, aquele lugar especial que será nossa casa ao sair de vez do nível de realidade da Terra… se tivermos feito aqui por completo nossa parte com afinco, seriedade e alegria em servir.

Vamos ouvir e atender o chamado interior? Vamos nos juntar sintonizando transformação, consciência desperta, somando nossos pensamentos positivos e atitudes focadas numa egrégora cada vez maior, mais extensa e luminosa, que atingirá com a força da Luz todos os recantos do globo, requalificando energias sombrias, estagnadas, cristalizadas.
Vamos doar, repassar Luz à nossa volta, em nosso lar, em nosso escritório, caminhando ou dirigindo na rua?
Vamos começar a agir como verdadeiros avatares, extraindo o melhor de nossa essência, buscando inspiração, vibração e sintonia sempre que necessário? Garanto que vale a pena! Estar a serviço da Luz é viver de verdade… é extrair e manifestar o que somos, com entusiasmo, espontaneidade e alegria…
Sejamos Um só, na Luz!

 Namastê
Sergio STUM

Deixe o seu comentário

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com