agosto 13, 2012

O Facebook tem coisas muito divertidas. Uma delas é a repercussão de certos assuntos. Ando numa fase meio interessante, tomei gosto em palpitar sobre tudo. Acho que isto é coisa de jornalista que não tem trabalho fixo e fica o dia todo lendo e assistindo noticiário. Também tem aquela coisa da idade. É, porque se tem uma vantagem de passar dos cinquenta (e o mercado de trabalho ficar minguadinho), é poder falar o que quiser. Os amigos da gente, da nossa geração, costuma concordar com nossos palpites. E os mais novos, não todos, claro (até porque, como já dizia Nelson Rodrigues, “toda unanimidade é burra”) não discordam porque não querem faltar com respeito. Não fossem as agruras normais da idade, eu queria ter envelhecido mais cedo. Bom, mas vamos aos fatos. Ou às tertúlias. Tertúlias, para os mais novos entenderem, quer dizer delírios poéticos. Mais ou menos isto, porque não vou buscar definição exata no dicionário. Enfim, na falta do meu blog, que resolveu tirar folga por uns dias – mas felizmente voltou – resolvi colocar um textinho no Facebook sobre as minhas impressões do encerramento das Olimpíadas em Londres. E o resultado foi interessantíssimo. A maioria (com certeza da minha geração) concordou comigo. Mas teve quem não gostou e falou. Gostei do debate e postei outro comentário. Achei tão, mas tão divertido, que resolvi colocar tudo aqui, no blog, Ufa!

Tudo começou com este texto:

Depois de assistir ao belíssimo show de encerramento das Olimpíadas de Londres, ver a apresentação de oito minutos do Brasil, mais precisamente o Rio, como sede dos próximos jogos de 2016, um pensamento passou pela minha cabeça: quem não conhece o Rio de Janeiro (boa parte do mundo, convenhamos) deve estar imaginando que a cidade está localizada em algum país do continente africano, tamanha quantidade de adereços e fantasias características. Somos sim, um País cuja população tem enorme contingente de africanos, mas não ao ponto de confundir nossa identidade. Além disto, a representação que se fez do País na cerimônia foi repleta de clichês gastos e estereótipos de sentido dúbio: varredor de rua (interrompe o trabalho pra sambar, tá maluco?), índios (marombados!), figuras do imaginário das supertições, sambista, malandro, e uma modelo boazuda. Não fosse o Pelé aparecer no último segundo do final da partida, as agências de viagem teriam um trabalhão danado pra convencer os possíveis turistas de que o Rio de Janeiro fica mesmo no Brasil, situado na América do Sul. E que aqui, e em todo o nosso imenso País, existem centenas, milhares de culturas, sons, pessoas de todas as raças, cores e corpos e que os índios, pobres coitados, são meras figuras de linguagem decorativa para ocasiões solenes. And last, but not last: como anda o ibope do prefeito Eduardo Paes nestas eleições? Porque com Olimpíada na parada não dá nem pra pensar em perder, não é mesmo? Na minha modestíssima opinião, só ficou faltando mesmo o Michel Teló cantando “Ai se eu te pego”. Os ingleses, gentilíssimos que são, não iriam entender nada, mas iriam aplaudir assim mesmo. E ainda tem Copa do Mundo, Meu Jesus Cristinho!

 

João Henrique Pestana, Francisco Jose Miranda e outras 20 pessoas curtiram isso..

 

Eduardo Carvalho: A visão do inferno será, pois lá na Inglaterra foi tudo muito certo, muito bacana. Aqui será infelizmente diferente, pois não tem governo capaz de administrar a desordem, e o caos que está no RJ. Que Deus nos ajude, para que não passemos muita vergonha!há 22 horas ·

Maria Inês Puga Barcelos: Tereza vc falou tudo!!! Bjs!! !há 22 horas via celular

Germano Ramos: Análise perfeita, Theresa Hilcar…há 20 horas

Rosana Razuk: Ainda bem que temos Theresa para falar aquilo que a gente sente, mas não sabe colocar em palavras. Valeu "Terrese", Bjs. há 19 horas

Eliria Dieckow Pior foram eles falarem que os índios, são os donos do Brasil!! (só por Deus) há 19 horas

Ana Maria El Daher Vc realmente falou com maestria tudo que senti ao ver aquele carnaval de raças e de confusas demonstrações do Brasil. Salvou a presença do Pelé!!!Beijos, vou roubar seu post!!!há 18 horas

.José Fernandes Parabéns pelas observações. Realmente é isso. Além de ter, de grosso modo, não ter dito nada, porque, quem não sabe a história do gari, ficará perguntando o que ele está fazendo ali.

Sheilla Cristina Sendão Silva Lindo seu texto! há 8 horas

Mariana de Barros ·me desculpe Thereza hilcar, mas se você for falar da população e não da elite, que é a minoria, diga-se de passagem, michel teló estaria perfeitamente encaixado, pq ela agrada o povo e a música dele é baseada na nossa música raiz o sertanejo. a grande maioria do brasileiro é sertanejo, mas não aceita.há 8 horas ·

Mariana de Barros · se hoje vc pedir pra qualquer estrangeiro balbuciar alguma palabra em português, vão cantar "ai se eu te pego” há 8 horas ·.

Erika T Hoen O que eu acho uma pena Mariana! há 7 horas via celular ·

Erika, você queria que a grande maioria dos brasileiros cantasse o que tom jobim, chico buarque?? há 7 horas ··. Mariana de Barros ·

só se começar um novo Brasilhá 7 horas · .Mariana de Barros ·

mal sabem falar, escrever…. Mariana Barros há 7 horas

Theresa Hilcar: Michel Teló cantando Garota de Ipanema não seria o máximo? Podia até colocar um "ai se eu te pego" no final, rsrsrs. A questão, Mariana, não é o Brasil ser sertanejo ou não (apesar de não concordar muito), mas a imagem que quem "vender" do nosso País, múltiplo que é. Tom Jobim e sua Garota de Ipanema são tão conhecidos no mundo quanto os Beatles. É a música mais gravada do século 20. E isto é Brasil!há 4 horas ·

Nilson Pereira Brasil. brasileiro. Ficamos em 22º em colocação nas Olimpíadas e dizem que fomos bem. Então… tá. Não precisamos preparar nossos atletas para o futuro. Alias, o Governo diz que gastou mais de R$ 2 bilhões na preparação dos atletas. Agora fica no ar uma pergunta: aonde foi para este dinheiro? Quanto a nossa apresentação em Londres…sem comentário. Igual aos que comandam o esporte amador no Brasil (além do profissional) há 4 horas ·

 ·

Novo post

Só pra dar um pouquinho de asas à imaginação: pensem na ararinha azul do filme "Rio" (em Led, claro!) voando pelo ginásio de Londres ao som da trilha instrumental do filme e depois pousando num piano de cauda onde um artista tocaria e cantaria "Garota de Ipanema". Depois entrariam Ana Botafogo, Carlinhos de Jesus, e uma ala de escola de samba. Não ficaria lindo? Deviam ter me chamado para ajudar a fazer a coreografia. Ah! E esqueci de mencionar anteriormente que na galeria dos clichês só faltou o flanelinha e sua galera. Socorro!

Martha Dos Santos Pereira, Eliana Fogaça e outras 12 pessoas curtiram isso..

 Comentários:

Lilia Lunardon kkkkkkkkkkkkkkk só vc!Adorei!! Bj há 4 horas

Eléa Rocha Bertoli Amei esse simples gesto, é por isso que digo são as pequenas coisas que fazem valorizar as grandes. Parabéns! há 4 horas

Rita Figueiro Araujo Isso aí Theresa, achei mal colocada a coreografia além de primaria… há 4 horas

Rita Figueiro Araujo Temos que exigir do governo investimentos em nossos atletas urgente!!! há 4 horas

Christiana Hilgert Verdade, Theresa! O Brasil, e o Rio, são muito mais que estes estereótipos requentados…. Estava lá em Londres, impressionantes a organização, a logística do transporte, a informação disseminada em todos os níveis, além, obviamente, da segurança. Não vai ser fácil… há 4 horas via celular

Claudia Abrahão: já disse para vc que CGR desperdiça um talento… tô vendo, que o mundo está desperdiçando um talento, rsrsrsrsrs… bj há 2 horas

Theresa Hilcar Tá vendo, Claudinha? Eu aqui desperdiçada menina, rsrsrs. Bjs há ± 1 hora

Ilka Couto Se eu fosse vc, mandaria sua ideia para a comissão das olimpíadas, ótima ideia.

Theresa Hilcar Falta cacife e QI, Ilka, Mas obrigada!  

Deixe o seu comentário