abril 29, 2010

 Foi por um fio, mas ainda há esperança

Publicado no jornal Estado de Minas

 

Baptista Chagas de Almeida

 

Ainda resta uma esperança. A frase é repetida e foi usada com o mesmo tema. Pedido de vista na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados iria adiar, mais uma vez, a votação do projeto que exige ficha limpa dos candidatos nas eleições. A manobra era previsível. É numeroso o grupo de parlamentares que quer empurrar o assunto para depois do pleito de outubro ou, se possível, para nunca mais. Nem mesmo as 1,6 milhão de assinaturas de eleitores recolhidas em todo o país são capazes de sensibilizar suas excelências. O projeto de iniciativa popular que tenta moralizar as campanhas ficou por um fio. Mas os líderes de 14 partidos sentiram que não seria uma boa ideia. Assinaram o pedido de urgência em sua tramitação e levaram o projeto direto para o plenário. Menos mal. 

Os deputados resistem ao projeto mesmo depois de as entidades da sociedade civil que o patrocinaram terem cedido em alguns pontos. Aceitaram, por exemplo, que a decisão da Justiça tivesse que ser colegiada, uma forma de impedir que juízes dos rincões pelo país afora pudessem tomar partido a favor deste ou daquele político. O que é comum, diga-se de passagem. Mesmo assim, como há muita gente no Congresso que presta contas à Justiça, a resistência ainda é muito grande. 

Fala quem pode. Vem do próprio presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), o alerta, apesar da vitória de ontem: “Os líderes têm problemas em suas bancadas, então não vamos pensar que vai ser fácil.” Já deu para perceber.

Deixe o seu comentário

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com