novembro 20, 2010

Dá pra imaginar um festival de jabuticaba? Pois os mineiros, engenhosos que só, vão se esbaldar este final de semana com a deliciosa frutinha. A programação é recheada de novidades gastronômicas, algumas bem sofisticadas. Mas cá pra nós, nada substitui a forma mas lúdica e saborosa de degustar a fruta: direto do pé. Lembro que na minha cidade, Lagoa da Prata, durante a temporada de fruta, costumávamos ir todos os dias na propriedade do seu Antoninho, um amplo terreno repleto de jabuticabeiras, onde se pagava por hora. A gente chupava a fruta à vontade, mas não podia levar pra casa. Pra levar era outro preço. Nem preciso dizer que a gente se empanturrava de tanto comer – ou chupar – jabuticaba. Tempinho bom, sô!

 

aumentar fonte diminuir fonte imprimir
 Marcos Michelim/EM/D. A Press
 

A adesão da iniciativa privada ao evento, por meio da realização de festins (jantares e outras promoções gastronômicas fechadas, com pratos à base da fruta) é a principal novidade do 24º Festival da Jabuticaba de Sabará. Amanhã e domingo, a cidade histórica da região metropolitana terá no “ouro negro” – como ficou conhecida a fruta na região – a principal atração turística, que será servida desde in natura até em requintados pratos. “A expectativa é de 100% de lotação com a promoção que, além de turistas, privilegiará a população da cidade”, avisa Luiz Neves de Souza, gerente-geral do Hotel Solar São Francisco, no Centro histórico de Sabará.

 Com pacote especial, das 12h de sábado às 18h de domingo, casais visitantes poderão desfrutar das delícias de pratos como o salmão ao molho de jabuticaba, feitos pelo chef Geraldo Rogério e sua equipe, até as geleias à base da fruta, servidas no café da manhã. O pacote dará direito, ainda, a show de MPB (Toninho Moreira), no restaurante, além de discotecagem com flashbacks (DJ Luiz Henrique), na boate. Palco do Festival de Jabuticaba há várias edições, a Praça de Esportes, no Centro, receberá 30 estandes de expositores de derivados da jabuticaba, além de praça de alimentação coberta, com 14 barracas de gastronomia típica e 10 barracas da fruta.

 Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Turismo de Sabará, a expectativa é de que cada produtor de jabuticaba (14 ao todo) comercialize de 150 a 200 caixas, de 15kg, durante o evento. Com ingressos a preços populares, mais de 10 mil pessoas deverão passar pela Praça de Esportes a cada dia de realização do festival, cuja adesão do comércio e hotelaria local só contribui para aumentar a popularidade. Paralelamente à festa no Centro histórico, distritos como o do Arraial Velho, a 2,5 quilômetros de lá, promovem o aluguel de pés da fruta (de R$ 80 a R$ 200, dependendo do tamanho), para os interessados em degustá-la em clima característico de sítios e fazendas.

Espaços como o Hotel Solar também disponibilizam seus pomares (com 29 pés, ao todo) para os hóspedes. Apesar de o festival ser realizado neste final de semana, no dia 27 ainda haverá festim em sítio do distrito de Pompéu. Conhecida como a capital mineira da fruta, Sabará incentiva o seu cultivo a ponto de, por meio de legislação própria, dar descontos no valor do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) para cada árvore plantada em imóvel.

Deixe o seu comentário