setembro 10, 2011

Acordo de manhã com o gato miando a beira da cama. Todo dia é a mesma coisa. Às vezes me irrito. Não entendo o motivo desse miado feito choro todas as manhãs. É como se ele me pedisse algo que não tenho para dar. Seu miado não é de fome, pois tenho cuidado de deixar seu prato sempre cheio de ração. O “banheiro” também está sempre limpo. Ele está saudável, pois vai sempre ao veterinário. Então porque ele sempre mia deste jeito?

Levanto-me e vou à cozinha para o primeiro passo do meu ritual de todas as manhãs: esquento água, misturo com água fria e um pouco de limão espremido num copo alto e tomo de uma só golada. Antes tomava só um copo, mas me disseram que dois é melhor, então bebo dois copos cheios desta mistura. É bom para os intestinos. E eu sempre me preocupo com meus intestinos. Acredito que eles devem estar sempre limpos e saudáveis.

Em seguida preparo outra mistura: desta vez uso o liquidificador para bater vegetais como couve, salsinha, hortelã e mais alho-poró e maçã. Faço isto todos os dias como se fosse oração. É bom pra saúde, foi o que li. Ontem me disseram que é bom acrescentar inhame.  Dizem que é um dos melhores alimentos que existe, e faz muito bem para quem está na menopausa e precisa de hormônios. De vez em quando eu acrescento o inhame, mas a textura do suco não fica lá muito boa para se tomar. Prefiro cozinhar o inhame e comer com arroz integral. Também é um hábito que incorporei há muito tempo.

Com este suco verde engulo minhas vitaminas e meus remédios. Atualmente são oito cápsulas: vitamina C, E, complexo B, óleo de linhaça, sucupira (que adotei recentemente), gelatina e um antidepressivo, porque sem ele não dá pra encarar o dia. Depois disto volto minha atenção ao café da manhã, propriamente dito. Faço o café na cafeteira italiana que deixa um aroma e sabor bem interessantes. E sempre escolho uma boa marca, às vezes orgânico, quando encontro por um bom preço. Produtos orgânicos são sempre mais caros, mas são bem melhores. Enquanto espero o café, coloco uma fatia de pão integral na torradeira. Aprendi que pão torrado é bem mais saudável e melhor para digestão.

Em pé, junto ao balcão da cozinha, tomo o café com a torrada e um pouco de manteiga. Nunca me sento para fazer a primeira refeição. Não sei por que, mas é assim há tempos, desde que moro sozinha. Terminada esta etapa, pego meu cigarro e vou ao banheiro onde passo pelo menos 20 minutos. Leio, fumo, lixo minhas unhas, até meu intestino funcionar. Às vezes demora. Mas não saio de casa sem este ritual. No meu banheiro tenho uma pequena biblioteca com revistas e livros. São sempre leituras fáceis que posso interromper a qualquer momento. O banheiro é local para leituras leves.

Até aí meu dia transcorre normal, sem surpresas. Depois disto é que começam as minhas idiossincrasias. Nunca sei o que fazer depois. Não trabalho há quase um ano. Meu dia é livre, ou quase. Tenho afazeres domésticos, mas nada que me toma muito o tempo. Faço apenas o que me dá vontade. E quase nunca tenho vontade. Passo o dia dividindo o tempo entre o computador, onde deixo mensagens ou textos no meu blog ou no Facebook, e a televisão. Mas só gosto de ver filmes. Não vejo TV aberta porque me irritam todos aqueles programas idiotas e os telejornais sensacionalistas dão um nó no meu estômago.

Fumo sem parar. Jurei que ira parar de fumar aos cinqüenta, mas estou fumando muito mais. Às vezes 10 ou quinze cigarros por dia. E tomo muito café também. Nos intervalos como comida saudável. Eu sei, é incoerente. Mas eu sou incoerente, não dá pra escapar. E às bebo. Muito. E tenho ressacas homéricas porque meu fígado odeia álcool e minha alma não suporta mais fugas. Quando estou num bom dia faço meditação. Tenho fases em que medito todas as tardes. Noutras, como agora, fico torcendo para o dia acabar e eu, finalmente, poder dormir. Mas isto não adianta muito, porque no outro dia começa tudo de novo. E meu gato sempre mia.  E eu não sei por que.

Deixe o seu comentário

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com